Páginas

Total de visualizações de página

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Formação inicial dos professores da Escola Municipal Jesus Bom Pastor, no município de Barro Preto, no dia 17 de dezembro de 2010, com Livia (UFBA) Gizelia e Saionara (NTE/Itabuna)


A escola tem em funcionamento quatro salas de aula do ensino fundamental I. Estão aguardando posicionamento da administração municipal, quanto a mudança de espaço físico da escola. Ainda não foi definido para onde a escola vai mudar. Entretanto, a direção da escola providenciou a instalação de grades, alarme e armários com chaves para manter os laptops em segurança. A rede UCA já foi instalada, com exceção do servidor, por isso ainda não funciona. Na primeira visita questionei a diretora, ela me disse que não sabe o porquê que não foi instalado, mas tem o telefone para contato com o técnico, que está aguardando a definição do local para onde a escola vai mudar para que ela faça o contato e, já solicite também a instalação do equipamento na nova sede.

Nessa primeira formação presencial, estiveram presentes todos os professores da escola, (são cinco), a secretária escolar, diretora, vice-diretor e a coordenadora pedagógica.

A escola disponibilizou um computador em rede e data show, assim como um lanche para os professores. Tudo funcionou conforme planejamos, inclusive a internet. Levamos um “plano B” para caso a internet não estivesse funcionando, mas não precisamos utilizá-lo, tudo transcorreu bem.

Iniciamos a formação apresentando a equipe UCA Bahia, assim como o trabalho que será desenvolvido. Em seguida passamos dois vídeos: o primeiro, o lançamento do UCA em Piraí/RJ, com o presidente Lula; o segundo, o relato da experiência de Palmas/TO, com a fala de professores, alunos, gestor de escolar, coordenador do UCA no Estado. A partir daí abrimos para que os professores se apresentassem e falassem um pouco do seu trabalho na escola, da sua relação com as tecnologias, assim como as expectativas quanto ao projeto.

A maioria dos professores tem computador em casa, com internet, mas não tem o hábito de utilizar. Quem usa como mais freqüências são os filhos. Não utilizam software livre, acham difícil e tem receios de não dar conta do trabalho com o UCA também por conta disso. Contudo, todos se mostraram bastante dispostos a aprender, pois acreditam que o uso do laptop poderá contribuir significativamente para melhorar o desempenho dos alunos, a construção dos saberes e de conhecimentos, assim como também diminuir a evasão e a frequência rotativa dos alunos.

Apresentamos os pilares de sustentação do UCA, assim como também o formato da formação. Em seguida, foi apresentada também a plataforma e-proinfo, em todos os seus detalhes e o que ali será desenvolvido.

Apresentamos o moodle, todo o material lá disponível, assim como a forma que iremos utilizá-lo. Aproveitamos também para já cadastrar todos os professores nele.

Mostramos o blog do UCA/BA, e um pouco de tudo o que eles podem encontrar lá e, como ele foi pensando: divulgar nossas ações e por onde “andamos”. A importância de eles acessarem o blog e, a partir dele, também conhecer um pouco das experiências dos outros Estados.

Aproveitamos também para agendarmos nossa participação na semana pedagógica deles. Informaram-nos que a do município está agendada para 08 a 11 de fevereiro de 2011. Que na escola eles estarão reunidos para planejamento nos dias 10 e 11 de fevereiro. Deixamos claro que nesse dia estaremos também com eles, para iniciamos a próxima etapa da formação.

A escola a partir de hoje, disponibilizou para cada professor um laptop, para que ele inclusive leve para casa. Dissemos que esse será o “exercício de casa” nesse período de férias: futucar os bichinhos e, aos poucos, irem se apropriando do que tem nele.

A primeira impressão do grupo: uma equipe animada, consciente dos desafios, mas dispostos a encará-los, a dar o melhor de si.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO GRUPO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, COMUNICAÇÃO E TECNOLOGIAS – GEC







By  Livia Coelho

Visita a Escola Municipal Bom Pastor, em Barro Preto, dia 11.11.10, no turno vespertino. Formadoras: Lívia (UFBA) e Gizelia (NTE/Itb)

O município, segundo o IBGE (2010) tem 6.453habitantes. Está localizado na Microrregião de Ilhéus-Itabuna, distante a 30 km do município de Itabuna e a 447 km de Salvador.

A Escola Municipal Bom Pastor inicialmente era uma escola particular. Foi municipalizada a menos de 5 anos. Funciona apenas com o Fundamental 1, tendo 4 salas de aula, 1 sala de professor, 1 sala onde funciona a secretaria. Segundo a diretora, a comunidade é bastante envolvida com as atividades desenvolvidas na escola.

Os alunos da escola residem todos na zona urbana.

A escola está localizada no centro da cidade, em um espaço alugado. Inclusive, esta é uma das preocupações da diretora: eles estão procurando um novo espaço para escola e, os aparelhos referentes à conexão/internet já foram instalados, com exceção do servidor. Eu disse que isso não seria problema (assim espero), que os aparelhos iriam para o outro espaço. Até por que, ela tem o contato do técnico responsável pela instalação.

Pedi a ela que ligasse para o técnico o mais rápido possível e verificasse o porquê que o servidor não foi instalado e, verificar a possibilidade de vir instalar logo, pois eles precisam começar a usar a máquina 100%.

Só ela e a coordenadora da escola experimentaram as máquinas, logo que as mesmas chegaram à escola.

Já fizeram uma reunião com os pais e alunos e apresentaram as máquinas. Estão todos (principalmente os alunos) bastante ansiosos para começarem logo a futucar. Enquanto estávamos reunidos numa área da escola hoje, vários alunos passavam e perguntavam: ta liberado? Quando vamos poder usar?
Quando as máquinas chegaram, a direção providenciou juntamente com a Secretaria Municipal da Educação comprar armários de ferro, com chave para todas as salas de aula. E lá estão os bichinhos guardadinhos, lacrados, do jeito que chegaram.

Perguntei por que não foram a reunião no IAT no daí 22.10. Responderam que não tiveram passagens e diárias liberadas, por que o prefeito estava viajando.

A escola tem 8 professores, 1 secretária, 1 porteiro, 1 diretora geral, 1 vice, e 1 coordenadora pedagógica.

Estiveram conosco nesse bate papo da tarde os diretores, o porteiro, a coordenadora. Conversamos rapidamente com os professores, pois os mesmos estavam em sala de aula com os alunos.

São 7 professores divididos : 3 salas a tarde e 4 manhã, atendendo a um total de 168 alunos.

Formação inicial dos professores: 6 graduados e/ou graduandos, em pedagogia, alunos de cursos a distancia e 2 apenas com ensino médio. Segundo a coordenadora, com exceção de 1, os outros todos tem computador em casa e costumam utilizar.

A escola não tem laboratório de informática. Tem computador e impressora na secretaria e 1 data show.

A diretora confidenciou que uma das preocupações da prefeitura é a despesa também com o translado dos prof. para formação;

Perguntamos a ela sobre a rede elétrica da escola. Até esse momento eles não tinham atentado para isso, muito menos para a necessidade de tomadas e novas carteiras.

Aproveitamos para aconselhá-la a conversar com a secretária da educação que, quando do processo de mudança da escola, vê a possibilidade de trocar as carteiras por cadeiras com mesinhas assim como, também, checar a rede elétrica da escola

DADO CURIOSO: O técnico que instalou a internet programou tecnicamente que, se o laptop passar 120 dias distantes da escola, ele trava e é inutilazado. Eu não sabia dessa possibilidade! Vcs já ouviram falar algo sobre isso? No momento da instalação ele perguntou o tempo a ela. Foi a direção que estipulou esses dias, mas, poderia ser menos ou mais.

O município tem um técnico de informática que dá manutenção aos computadores das escolas.

Apresentamos os espaços onde acontecerão o curso de formação para o grupo: moodle, proinfo, etc. Falamos também que é imprescindível que eles verifiquem o e-mail no mínimo 1 vez ao dia.

Agora a noite mandei já 1 e-mail para elas com nossos endereços eletrônicos, endereço do blog e moodle. Pedi que fossem futucando tudo.

Deixamos também com eles uma ficha que construí com os dados necessários para cadastro no e-proinfo. Pedi que nos mandassem por e-mail o mais rápido possível.

Particularmente gostei bastante da animação do grupo.

De imediato emprestaram um bichinho para a formadora do NTE quando falamos que o NTE ainda não tinha recebido a máquina.

Deixamos com eles também nosso modelo de termo de guarda, para eles adequarem a realidade da escola e utilizarem para entregar os bichinhos para os professores.

Falamos um pouco de nós também, UFBA, FACED, GEC, NTE. A importância da parceria e comprometimento de todos para que o projeto aconteça e dê certo.